VÁRIOS TRECHOS PERCORRIDOS NA TENTATIVA DE DAR UM PASSO ADIANTE

Em 2005, lancei  o curta Viva Volta e dirigi Caminho da Escola – Paraná. Foi um ano corajoso: a sensação era de uma cachoeira caindo na minha cabeça, água forte, água fresca, o movimento do mundo… eu não paro, você não para, quem para? A minha voracidade, a insegurança, o aprender a ouvir, a busca da ideia, o desapego da forma, o olhar, o repensar, o turbilhão, a sobrevivência, as crianças, as lembranças… os poucos anos em que estudei Agronomia, mais tarde Sociologia, Londres, laboratório preto e branco, iluminação de teatro, curta-metragem, São Paulo, Oficina Oswald de Andrade, Galeria Fotóptica, assistente de câmera, boêmia, Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia, estrada, direção de fotografia e o o privilégio de fazer imagens e contar histórias.Fazer filmes me dá prazer e  o cinema me fascina. Tudo o que vem antes e depois é um processo intenso de aprendizagens.
Poder realizar com o SESCTV 13 filmes, ou melhor, esta série cinematográfica, é mais que um privilégio, é a possibilidade de estrear num meio de comunicação de grande alcance. Realizar esta série é um mundo de descobertas.

Caminhos nasceu no Paraná e foi longamente lapidado em São Paulo. Percorremos o País conversando com brasileiros no médio Solimões, no arquipélago de Bailinque, nas areias da Vila Preá, nas seringas da Reserva Chico Mendes, na Cidade Maravilhosa, na pequena Ilha do Amparo, que fica em frente ao Porto de Paranaguá, na fronteira com a Bolívia, nas linhas de trem de São Paulo, nas montanhas pedregosas da Serra de Fechados, no quilombo de Remanso, no canavial de Condado, através da polenta da Nonna e do balé clássico de Geysa. No início, a ideia era buscar crianças, jovens e adultos que percorressem longos caminhos; durante o processo, descobri que o mais importante era achar pessoas que acreditassem em seus passos e em suas buscas. Foi assim que as 13 histórias nasceram: do desejo de ver um Brasil cheio de dignidade e força de transformação. Caminhos são vários trechos percorridos na tentativa de dar um passo adiante.
Tive a honra e o prazer de ter a cumplicidade de Marília Rocha, que dirigiu quatro dessas histórias, e de Kátia Lund, que dirigiu uma. Agradeço a todos os colegas do SESCTV com quem durante estes anos dialoguei muito até chegarmos a este momento. Agradeço também à Maquina Filmes, que investiu desde o início neste projeto e foi pioneira junto com o SESCTV ao realizar esta coprodução através da Ancine; ao SESCSP, que desde o início acreditou na Maquina; à FIEPR e a todos os nossos patrocinadores. Um agradecimento especial à nossa pequena e talentosa equipe, à paciência e perseverança da produtora e também uma das editoras da série, Tina Hardy. Conseguimos! Sonho realizado!Dedico este trabalho a todas as pessoas que  participaram dessas histórias.

TRAVELLING IN MANY DIRECTIONS IN AN ATTEMPT TO TAKE A STEP FORWARD

In 2005, I released the short-film “Turning” and directed “Way to School” in Paraná state. It was a brave year. I felt as if a waterfall was coming down on my head, strong and refreshing, the world spinning around me… I never stop, you never stop, who stops? My voracity, the insecurity of learning to listen, the search for ideas, the detachment from the ways things look, searching, rethinking, the vortex of life, survival, the children, memories… I studied Agronomy for few years, later on sociology, London, black and white lab, theater lightening, short films, 
São Paulo, Oswald de Andrade workshop, Fotóptica Gallery, camera assistant, bohemia, Rio de 
Janeiro, Pernambuco, Bahia, roads, director of photography and the privilege of creating images and telling stories.

Making movies is pleasure because it fascinates me. Everything that comes before and after is an intense learning process.

Being able to make 13 movies, or rather this cinematographic series, with SESCTV is more than a privilege; it’s the possibility of expressing myself and debuting in important media with wide coverage. 
Accomplishing this series represents a world of discoveries.

“On the Move” was born in Parana and exhaustively lapidated in São Paulo. We traveled the country talking to Brazilians midway along the Solimões River,Bailinque archipelago, the sands of Preá Village, Chico Mendes rubber tree Reserve, Rio de Janeiro City, the small island of Amparo facing the port of Paranaguá, along the border with Bolivia, São Paulo railways, the rocky mountains of Serra dos Fechados, Remanso quilombo (where runaway slaves lived in the past) and Condado sugarcane planation, besides tasting Nonna’s polenta and watching Geysa’s classic ballet exhibition. At first, the focus was to seek children, youngsters and adults that were willing to go a long way, but during the process I discovered that what really mattered was to find people who believed in their stride and searches. That’s how the 13 stories were conceived: from a desire to see Brazil full of dignity and transformation power!

“On the Move” refers to travelling in many directions in an attempt to take a step forward.

I had the honor and pleasure of counting on Marilia Rocha’s collaboration, who directed four of these stories, and Katia Lund, who directed one of them. I would like to thank all my colleagues from SESCTV with whom I shared ideas extensively until we reached the present state. I would also like to thank Maquina Filmes that invested in this project from the start and was a pioneer together with the SESCTV culminating in this co-production through Ancine; SESCSP for believing in Maquina Filmes from the beginning; FIEPR and all our sponsors. Special thanks to our small and talented team, the patience and perseverance of the producer as well as one of the editors of the series, Tina Hardy. We made it, a dream come true!

I dedicate this work to all those who participated in these stories.

Heloisa Passos Marlia Rocha Ktia Lund